Solicite
um orçamento

Dicas

DICA DE ESPECIALISTA

Por expertise

QUERO SAÚDE E BEM ESTAR- por Xanda Fogaça

post 1

Então você decide que precisa ser mais saudável. Quer aproveitar todo o potencial do seu corpo, quer funcionar integralmente, quer saúde edisposição completa.

Mas por onde começar?

O que diferencia o fácil do difícil, o simples do complicado é apenas a forma como quer encarar algum fato. Aqui, sugiro apenas 2 passos que podem mudar a sua vida por completo:

1- Esqueça todos os conceitos prontos que você tem sobre si mesmo, que você carrega há mais de 10 anos. Você não é mais o mesmo, o seu paladar não é mais o mesmo, o seu corpo não responde mais da mesma forma e suas habilidades podem ser outras. Esqueça tudo aquilo que já te disseram uma vez de que fazer isso é muito difícil, de que viver sem aquilo é impossível, que isso é assim, aquilo é assado. São crenças que ganham força todas as vezes que você as repete ou dá valor a isso. O nosso cérebro está no lugar mais alto do corpo por uma razão muito óbvia. Ele é capaz de controlar todo o resto do corpo, se for treinado e condicionado para isso.

2- Dê um choque no seu organismo de tudo que intoxica seu corpo. Desafio você a ficar 2 semanas sem comer trigo, sem leite, sem açúcar branco e refinado, sem nada que venha enlatado ou embalado. Aqueles alimentos com uma lista de ingredientes que você mal consegue pronunciar o nome. Alimentos que inflamam as células, oxidantes e que impede seu organismo de funcionar pleno e perfeito, como ele deveria.

post 2

Missão difícil?

É incrível como estamos fadados a automaticamente pensar nesses alimentos. São tão mais acessíveis, práticos e usuais. Encontramos em qualquer lugar. Porque eu deveria parar de comê-los então?

Você não vai sentir os efeitos prejudiciais desses alimentos instantaneamente. O corpo não é preguiçoso, nem burro. Ele trabalha constantemente para tentar aliviar e se desintoxicar. Mas ele nem sempre dá conta.

Assim aparece uma alergia .Uma dermatite na pele, uma sinusite repentina, ou qualquer “ite” nova que nunca existiu antes. Estranho! Estranho?

Dificilmente paramos para pensar no ponto exato em que determinada coisa começou. Somos habituados em pensar no sintoma, na doença, tratar imediatamente com um remédio e esperar passar. Ou aceitar que ela irá voltar, ou na melhor das hipóteses mudar de lugar ou diminuir sua intensidade. E muitas vezes aquele remédio arruma um problema, e causa um outro, em um lugar diferente.

Isso é mesmo correto? Devemos realmente aceitar uma condição física que não nos pertence?
Somos pessoas saudáveis, com potenciais esplendorosos, habilidades incríveis. Mas tais sintomas vão nos consumindo milimetricamente, pouco a pouco, dia após dia.
Existe um provérbio Ayurveda milenar que diz:

“Quando a alimentação é ruim a medicina não funciona, quando a alimentação é boa a medicina não é necessária.”

post 3

Ayurveda significa ciência da vida. E como ciência da vida, ela busca formas possíveis para que a vida gire em torno da vida. E não da morte.

Existem ferramentas para tornar a saúde uma condição real e sólida em nossas vidas. Elas se encontram espalhadas pelo mundo e muitas delas são desconhecidas ou passam desapercebidas por nós, na dinamicidade em que vivemos no mundo de hoje.

Já foi dito que a prevenção é o melhor remédio do mundo. Prevenir é dar armas para seu corpo poder combater tudo aquilo que poderá agredi-lo eventualmente.

O workshop Cozinha do Bem-Estar surge com a proposta de ser uma dessas ferramentas. Pois acreditamos em saúde de forma integral, na vida como vida, no Bem-Estar que emerge de dentro para fora, se completa e se funde em expansão e energia.

Venha fazer parte dessa riqueza com a gente. São vagas limitadas e o dia está chegando.

post 4

Reserve seu sábado, dia 17 de outubro para experienciar algo novo e levar por toda a vida.

Para mais informações, envie um email para simonelascasas@gmail.com que contamos tudo para você.

Será um prazer ter você com a gente!!!

Namastê!

“O coração é o centro de todos os lugares sagrados. Vá e passeie por lá
”.